Estudantes de Fonoaudiologia atuam em Ligas Acadêmicas nos estados do Maranhão e Ceará


07/05/2018


Por Thaiane Firmino

Possibilitar a aplicação dos conteúdos apreendidos em sala de aula é o principal objetivo das ligas acadêmicas, espécies de associações que buscam atender aos princípios universitários do ensino, pesquisa e extensão. Na capital maranhense a Universidade Ceuma (Uniceuma) conta com quatro delas, que atuam no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS) e em projetos sociais. Em Fortaleza (CE), a Faculdade de Tecnologia Intensiva (Fateci) criou a Liga Acadêmica em Saúde Coletiva, com o intuito de buscar soluções para os desafios da área no Brasil.

Professoras Mabile Francine e Monique Lopes – fundadoras da LAL – com estudantes que participam da Liga.
Professoras Mabile Francine e Monique Lopes – fundadoras da LAL – com estudantes que participam da Liga.

Fundada em 2016, a Liga Acadêmica de Linguagem (LAL) da Uniceuma realiza atendimentos aos cidadãos e auxilia nos processos de desenvolvimento. Composta por 12 estudantes de cursos da área de saúde, a Liga é organizada com cargos de presidência, vice-presidência, secretaria, diretoria científica, tesouraria e coordenações de prática. “Na área de pesquisa temos desenvolvido observação, registro e divulgação de informações coletadas, além de apoio em projetos de pesquisa. Na área de extensão promovemos a atuação no SUS, buscando melhorias nas Redes de Atenção à Saúde (RAS)”, explicou a professora e fundadora da Liga, Monique Lopes.

Além da LAL, o Curso de Fonoaudiologia da Uniceuma possui mais três ligas nas áreas de Voz, Motricidade Orofacial e Audiologia, das quais participam também alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Psicologia, Odontologia, Serviço Social, Fisioterapia e Nutrição. “Desenvolvemos ações de saúde pública e, sem dúvidas, a Liga é crucial para minha vida profissional”, afirmou o presidente da Liga Acadêmica de Voz (LAV), Fagner Limam.

Liga Acadêmica de Saúde Coletiva da Fateci se reúne frequentemente para discutir situação da área no país
Liga Acadêmica de Saúde Coletiva da Fateci se reúne frequentemente para discutir situação da área no país

Na capital cearense o Curso de Fonoaudiologia da Fateci fundou a Liga Acadêmica em Saúde Coletiva (LASC). Criada há menos de um ano, conta com sete membros e é resultado do Grupo de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva, iniciado no ano de 2015. “A inserção dos antigos membros no mercado de trabalho e a apresentação contínua de trabalhos em eventos de iniciação científica são algumas das conquistas da Liga”, contou a professora e fundadora da LASC, Priscilla Barbosa. Segundo o estudante Renan Rocha, participar da Liga foi a forma que encontrou para se aproximar mais da área. “A LASC me deixa mais familiarizado com o curso e melhora minha experiência com o meio científico”, disse.

Para a estudante Luciana Oliveira, que participa da Liga desde agosto do ano passado, a oportunidade de aprofundar o conhecimento é o ponto forte. “A participação na LASC me mostrou como é produtivo e gratificante o trabalho em equipe, me deu mais autonomia e qualidade nos estudos, me levou a um pensamento mais crítico e proporcionou maturidade no nível de leitura, além de melhor desenvoltura em apresentações orais”, concluiu.