Fonoaudiologia e canto: parceria rende aperfeiçoamento no uso da voz


07/05/2018


Por Thaiane Firmino

Cantar pode parecer algo natural, no entanto, contar com acompanhamento fonoaudiológico ao longo da carreira faz a diferença. Além de evitar enfraquecimento e perda parcial ou total da voz, o trabalho desenvolvido pelo fonoaudiólogo auxilia desde a vibração das pregas vocais à saída de ar dos pulmões. Estratégias para fortalecer os pontos positivos e minimizar os negativos também são desenvolvidas.

Segundo a fonoaudióloga Helo Santana (CRFa 8 – 8079), fazer o condicionamento e estimular a resistência vocal potencializa a capacidade do canto. “A máquina pulmonar treinada contribui para a projeção da voz, o que evita desafinação e dá condições ao cantor de atender elevada demanda”, explicou.

Cerca de 330 mil pessoas se inscreveram para participar do programa. Meirelles seguiu na temporada até a segunda fase (audições às cegas).

Cerca de 330 mil pessoas se inscreveram para participar do programa. Meirelles seguiu na temporada até a segunda fase (audições às cegas).

Para a maranhense Sarah Meireles (24), que buscou intervenção fonoaudiológica para participar de seletiva da sexta temporada do talent show The Voice Brasil, após intervenção profissional foi possível perceber melhora na performance. “Ao receber a confirmação de que participaria do programa comecei a fazer aula de canto e senti extrema necessidade de ser acompanhada por um fonoaudiólogo. Desde o primeiro encontro foi possível notar evolução, sem contar que passei a fazer exercícios de respiração e controle vocal, além de conhecer melhor minha fisiologia”, afirmou.

O Fonoaudiólogo desenvolve estratégias de promoção de saúde vocal, não somente no nível da reabilitação, mas minimizando os riscos de lesões, explicou Limam.

“O Fonoaudiólogo desenvolve estratégias de promoção de saúde vocal, não somente no nível da reabilitação, mas minimizando os riscos de lesões“, explicou Limam.

O musicista e estudante de Fonoaudiologia que acompanha Meirelles desde então, Fagner Limam, alerta que o desenvolvimento vocal de forma empírica traz vícios que atrapalham a dinâmica. Ele afirma que a voz não é exclusivamente um dom e, portanto, precisa de cuidados. “Para ter uma carreira duradoura o cantor precisa exercitar os músculos e desenvolver comportamentos que favoreçam a saúde vocal. No caso da Sarah, trabalhamos estética vocal, efeitos e padrões de emissão, com o objetivo de ampliar a gama de possibilidades vocais”, finalizou.